quinta-feira, 19 de maio de 2011

Trabalho Voluntário, todos ganham.

Nessa última sexta, dia 13 de maio, tive o prazer de comparecer a um evento promovido pela Juíza Sônia Maria Mazzetto Moroso, titular da 1ª Vara Criminal de Itajaí, sobre o início da execução do projeto da ONG Estrela de Isabel, espaço que buscará auxiliar e dar suporte a qualquer pessoa que sofre violência doméstica. O espaço funcionará no próprio Fórum de Itajaí, e até onde pude ter acesso às informações, funcionará todas as tardes e contará com ajuda especializada e uma grande equipe. No evento, que aconteceu no Itamirim, a Juíza foi muito clara, firme e objetiva, apontando uma série de pontos importantes como drogas, violência, a necessidade do apoio financeiro, já que o serviço será totalmente gratuito, enfim, deu uma verdadeira aula de civilidade, mostrando que sabe o que está falando e que busca ajudar e dar continuidade ao trabalho que já executa como Juíza. Acredito que para quem estiver interessado é só buscar informações no Fórum e falar com a equipe responsável.

Só para termos uma ideia, segundo o Ministério da Saúde, as agressões constituem a principal causa de morte de jovens entre 5 e 19 anos. A maior parte dessas agressões provém do ambiente doméstico. A Unicef estima que, diariamente, 18 mil crianças e adolescentes sejam espancados no Brasil. Os acidentes e as violências domésticas provocam 64,4% das mortes de crianças e adolescentes no País, segundo dados de 1997. Hoje podemos deduzir que esses números possam ter aumentado, mas antes de falarmos de qualquer estatística falamos de seres humanos, números altos ou baixos, toda forma de agressão traz consequências, feridas de difícil acesso, tratamento e cicatrização.

Fui representando uma das ONGs na qual sou membro, o Grupo Al-Anom de Itajaí, grupo no qual busca amparar e auxiliar qualquer pessoa que tenha sofrido ou esteja sofrendo com o vício do Álcool de um parente ou amigo, ou seja, diferente do AA (alcoólicos anônimos), o Al-Anom dá suporte aos familiares ou qualquer pessoa que esteja sofrendo ou sofreu pelo alcoolismo de alguém próximo. Esse grupo funciona a nível mundial, mas focando na cidade de Itajaí, o grupo funciona todas as segundas feiras, das 20:00hrs até às 22:00hrs ao lado da igreja São João Batista no Bairro São João. Para participar não precisa de nada além da vontade de buscar ajuda, todos são respeitados e o sigilo é mantido. Mais informações sobre o Al-Anom você encontra no site (http://www.al-anon.org.br/), mas quem quiser encontra os folhetos explicativos em diversos locais, como o CAPS-ad de Itajaí.

Essas duas ONGs, esses dois projetos, são só exemplos de tantos outros que encontramos em toda nossa cidade, e se engana quem acha que trabalhos voluntários não são uma via de mão dupla, pode não se receber dinheiro mas se recebe carinho sincero, respeito a si e ao outro, crescimento pessoal, e uma série de outros benefícios. Falta tempo? Uma ou duas horas na semana não fará tanta falta assim, sinceramente, não se aprende ou se cresce como ser humano nem 1% comparando ficar parado assistindo tv ou falando da vida alheia, comparado a um trabalho voluntário, mas será que estamos prontos para nos enfrentar e evoluir internamente?

Saulo Henrique Ferreira

Psicólogo CRP-12/08387

9637-0447 – 4105-0393

Email: saulohen@gmail.com

Um comentário:

  1. Belissimo texto, violencia domestica e um tema que nos, profissionais de saude, nos deparamos muitas vezes. Tanto a violencia fisica como a psicologica deixam marcas nao apenas a pessoa agredida como nas pessoas ao seu redor e infelizmente, como da para perceber nos dados aqui expostos, o numero de agredidos nao e nada desprezivel. Apoio, respeito, amparo e tudo o que os agredidos precisam receber.

    ResponderExcluir